O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

26/01/10

650-Cte. Joaquim Primavera e Cte.Faria e Melo


Foto enviada pelo Cte. Joaquim Primavera acompanhada pela nota a seguir referida:

"Encontrei esta fotografia tirada no cockpit de um Dakota que envio para a tua colecção.
Estou a voar com o Faria e Melo a copiloto não sei em que voo, mas localizo-o aí por volta de 1969.

JP"
O meu obrigada.

(Clicar)

22/01/10

649-Comentário do Cte. José Vilhena sobre o falecimento do Cte. Luís Santos da Costa Branco

22/01/2010
Hoje é sem sombra de dúvida um dia triste para toda uma geração de pilotos que conheceu o Comandante Luis Santos da Costa Branco. Um profissional impar na história da nossa Aviação contemporânea.
A atribuição do prémio Carlos Bleck da Associação de Pilotos Portugueses de Linha Aérea (APPLA) para 2011, com a realização de um livro sobre a sua vida, vem de certo contribuir para que todos fiquemos a conhecer melhor a sua obra, como Homem e Profissional da Aviação. Pena é que não possa já participar em vida nesta justa e tardia homenagem.
Moçambique ficou de certo mais pobre, com a perda deste Grande Senhor, que como tantos outros, ajudaram a construir a Aviação naquelas terras longínquas do Índico.
A minha singela homenagem a alguém, que para todos nós pilotos profissionais, sempre foi um exemplo.
José Vilhena

Almoço anual do pessoal da DETA, a 24 de Abril.

Para conhecimento dos antigos funcionários da DETA .

O almoço anual do pessoal da DETA, realiza-se no próximo dia 24 de Abril no restaurante da antiga FIL.
As inscrições podem ser feitas até 15 de Abril para o Carlos Mendes tel. 96 666 24 28 ou 21 363 47 99.
Com os meus agradecimentos.
J.Monteiro

21/01/10

648 - Faleceu o Cte. Luís Santos da Costa Branco, ex-Comandante da DETA













Faleceu hoje o Cte. Luís Santos da Costa Branco
O Voando em Moçambique apresenta condolências à família


O Cte. Branco era o o mais antigo piloto português de linha aérea.

Nascido a 25 de Outubro de 1917 em Vila Nova de Oliveirinha, Luís Branco é considerado "um pioneiro nos transportes aéreos portugueses", sendo um dos mais antigos pilotos da primeira transportadora de linha aérea nacional, que foi a DETA (hoje Linhas Aéreas de Moçambique).
Teve em 1933 o seu baptismo de Voo com o Capitão Piloto Aviador João Luís de Moura. Foi admitido como praticante de escritório nos Caminhos de Ferro de Moçambique a 13 de Maio de 1936. A 6 de Maio desse ano iniciou a instrução de voo no Aero Clube de Moçambique tendo como instrutor Jimmy Childs, piloto Sul Africano que combateu na 1ª Grande Guerra. Efectuou o seu primeiro voo a solo a 2 de Junho de 1936 e foi nomeado Aluno Piloto Aviador da DETA. Em 28 de Outubro de 1937 iniciou o curso de qualificação para Piloto de Aviões de Transporte Publico. Em 1939/1940 frequentou o curso de Radiotelegrafista de Aeronaves na Escola Telégrafo-postal dos CTT, recebendo o respectivo certificado do Serviço de Aeronáutica Civil (SAC) em 15 de Julho de 1940, tendo ingressado nas carreiras aéreas da DETA.Posteriormente efectuou cursos em Inglaterra, Holanda e Estados Unidos, nomeadamente cursos de qualificação em Fokker Friendship F27 e Boeing 737. Voou Hornet Moth, Dragonfly, Dragon Rapide, Junkers 52, Lockheed Electra e Lodestar, Dakota, Friendship e Boeing 737. Foi durante vários anos instrutor, verificador e Piloto Chefe da DETA. Completou 33.800 horas de voo no total, tendo muitas delas sido realizadas quando ainda não existiam as mínimas condições de apoio à navegação, uma vez que se iniciava em todo o mundo o hoje cómodo e seguro transporte aéreo"
Além de ter representado a antiga DETA em várias reuniões e eventos internacionais e de ter transportado diversas persolidades, participou na elaboração da primeira legislação nacional sobre tempos de voo e repouso dos tripulantes de voo.
Oficial da Ordem Militar de Cristo e Comendador da Ordem do Infante Dom Henrique, possui ainda vários louvores, destacando-se um atribuído em 1953 por ter evitado "um acidente de graves consequências ao comando do avião bimotor Lockheed-14, com um dos motores a arder e outro a falhar".
O comandante Luís Santos da Costa Branco cumpriu o seu último voo em Moçambique, aos comandos do avião Boeing- 737, no dia 22 de Maio de 1976, numa carreira regular Lourenço Marques - Joanesburgo - Lourenço Marques.
A Aviação em Moçambique muito ficou a dever ao Cte. Luís Branco pelo grande labor, empenhamento, esforço e entusiasmo. Para as novas gerações de pilotos foi sempre um marco e uma referência.


08/01/10

646-Fotos de Rui Oliveira (ex-despachante de tráfego e comissário de Bordo da DETA)


O colega que está ao volante do Gerador é o Adérito Mota, ou seja, é a mesma pessoa que estava no gerador do acidente com o "Friendship". Nota: (Referido no artigo anterior)


Da esquerda para a direita: Rui Oliveira, (Agradeço a ajuda na identificação destes funcionários da DETA)

Em relação à minha identificação eu era sobrinho do sr. Raul Monteiro (Chefe de Escala), e estive no aeroporto da Beira entre Março de 69 a Agosto de 70, altura em que fui para tropa. Depois da do serviço militar fui colocado em Lço. Marques e em Janeiro de 75 fui para comissário de bordo, onde permaneci até Junho de 77.
Rui Oliveira

645-Acidente do CR-AIB no Aeroporto da Beira em 11.12.1969




Fotos enviadas por Rui Oliveira (ex-despachante de tráfego e comissário de Bordo da DETA)

07/01/10

644-António da Cunha Alegre - piloto da COMAG e da ETAPA


Shrike Commander
Antonio Cunha Alegre
Antonio Cunha Alegre



O meu nome é Paulo A. Guapo da Cunha Alegre, nasci e vivi em Moçambique, em concreto, em Nampula, Porto Amélia e Montepuez.
O meu Pai - António ("Toninho") da Cunha Alegre - foi piloto da COMAG e da ETAPA, tendo voado também nas FAV (consta na lista de Pilotos da ETAPA, no Vosso artº. 639 de 19/11/2009).
O Cmdt. Olímpio Craveiro foi instrutor e colega do meu Pai, e Amigos de longa data, pelo que, me lembrei de remeter algumas fotos do mesmo.
Cordiais cumprimentos


--
Paulo da Cunha Alegre