O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

22/11/07

395- Dr Álvaro de Sousa Drumond Borges, Médico chefe da DETA e Enf. A. Rocha


Espólio Enf. Chefe António Rocha.

394-Enf. A. Rocha e Eng. António Oliveira Mendes - e com a filha Dida, funcionária da DETA.

Enf. Rocha e a filha Dida funcionária da DETA. Foto de Eduardo Vasconcelos.

Espólio Enf. Chefe António Rocha.

393-Enf. Rocha e Francisco Dalambe Tembe


Espólio Enf. Chefe António Rocha.

392-Oficinas da DETA

Espólio Enf. Chefe António Rocha.

391- Enf. António Rocha e Gabriel Felix chefe de escala Tap


Espólio Enf. Chefe António Rocha.

390-Pessoal da DETA numa passagem de ano


Espólio Enf. Chefe António Rocha.

389-Natércia Bettencourt (Pitucha) hospedeira da DETA


Fotos cedidas pela Pitucha, a quem agradeço.

388-Jantar de despedida do Enf. A.Rocha em 10.02.73, no Dragão de Ouro


Eng. Abel de Azevedo discursando

Espólio Enf. Chefe António Rocha.

387-Equipe de Futebol da DETA



Espólio Enf. Chefe António Rocha.

386-Assistentes de Bordo da DETA


Espólio Enf. Chefe António Rocha.

13/11/07

07/11/07

380-Grupo de Funcionários da DETA


Espólio Enf. Rocha.

379-DETA-Enf chefe António Augusto Rocha a receber a asa de prata em 1967


Foto de 1967.
Espólio Enf. Rocha.

378-CR-AEJ do ACM e Enfermeiro Chefe da DETA, António Augusto Rocha


Foto do Enfermeiro Chefe da DETA, António Augusto Rocha, que gentilmente me fez chegar parte do seu espólio fotográfico dos tempos que trabalhou na DETA.
O meu obrigada à filha Carmo.
Dados Cte. Vilhena. Obrigada pela ajuda.

377-Selo comemorativo do 25º Aniversário da DETA

Obrigada Cte. Vilhena por mais esta maravilha.

376-Cessna 401 – O avião do Eng. Jorge Jardim




Falamos do Cessna 401 com a matrícula do Malawi “7Q-YDM”, baptizado de “Zycomo”, e da sua pitoresca história.
Ostentou este avião entre 1968 e 1974 a matrícula da Força Aérea Portuguesa 3406, matrícula fictícia, já que esta tinha já sido atribuída a um Dornier DO-27 acidentado em Angola em 1961.
Em Março de 1972 foi realizada uma operação de pulverização a zonas plantadas no planalto de Mueda, decidida pelo Comando Chefe das Forças Armadas em Moçambique, utilizando aviões e pilotos Sul-africanos.
Os pilotos Sul-africanos chegaram à BA-10 na Beira acompanhados pelo Beaver “CR-AGS” do Aeroclube da Beira pilotado pelo Bento João e Frederico Jardim (filho do Eng. Jorge Jardim). Da Beira, após reabastecimento, o grupo descolou escoltado pelos mesmos dois pilotos portugueses, desta vez no Cessna 182E “CR-AJT”, pertença do mesmo Aeroclube.
Daí rumaram a António Enes e finalmente Nangololo, onde ficaria a base de operações destes aviões.
Faltava contudo um meio rápido que permitisse a ligação entre Mueda e Nangololo.
Foi aqui que surgiu a cedência do Cessna 401 do Eng. Jorge Jardim, que tinha contudo um óbice: ostentava uma matrícula civil e ainda por cima estrangeira.
Foi assim que com a perspicácia e algum jeito, utilizando banda plástica autocolante, que o Cessna foi incorporado e transformado no FAP 3406, tendo havido o cuidado de lhe dar uma matrícula já inexistente.
Assim foi um dos poucos aviões da Força Aérea Portuguesa que não vestia um uniforme a rigor, já que a sua pintura era pouco ortodoxa para o standard dos nossos aviões militares: todo branco com o dorso inferior da fuselagem e das asas de cor azul.




Texto e fotos do Cte. Vilhena.

05/11/07

375-Dion Hamilton do ACB em 1968

Foto tirada em 1968. Enviada por Garth Hamilton.

374-Abertura dos voos para Lourenço Marques e Beira-Moçambique com 747-B "Navigator Jet"

Primeira visita do B 747 a Beira , foto ou de Joao Roque Marques ou o seu irmão José.
Naturalmente esta "visita" foi grande coisa na Beira, salvo erro o 747 so estaria nessa altura em serviço comercial há um ano. Especialmente os sócios do ACB aproveitaram ir ver o aviao a passar bem perto pela frente do clube. Foto e legenda de Garth Hamilton Foto de Alexandre Pereira