O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

17/04/13

814 - Morreu Alberto Marques Pinto


É com pesar que lamentamos o falecimento hoje dia 17 de Abril de 2013 de Alberto Marques Pinto, um dos pilotos pioneiros de Moçambique.
À família enlutada os nossos sentidos pêsames. 
Voando em Moçambique

11/04/13

813 - HEPAL– Helicópteros Portugal África Lda.





A HEPAL nasceu em 1969 pela mão do Cte. João Manuel  Vinagre, piloto de helicópteros que tirou a sua licença na Bell Helicopter  Company nos Estados Unidos da América. Voou na Africa do Sul, Suazilândia,  Rodésia e Botswana, antes de fundar a sua própria companhia em Moçambique, tendo  sido o primeiro piloto comercial de helicópteros neste  território.
A empresa iniciou as suas operações associada à  Helicopter Services e à inglesa Bristow Helicopter com um Hiller UH-12E-4, tendo  seis meses depois adquirido uma segunda unidade. Foi um dos seus primeiros  pilotos o Cte. Cesário Marques Apolinário. Quando o apoio às prospecções  petrolíferas se iniciou no Canal de Moçambique em 1971, a HEPAL recebeu dois  Bell Jet Rangers, os seus primeiros helicópteros deste tipo. Nesse ano a HEPAL  bateu o recorde mundial nas operações deste tipo de aeronaves, totalizando 3.100  horas de voo em 18 meses, 1.200 das quais nos dois Hiller em apenas oito meses.  Todas estas horas foram efectuadas sem qualquer acidente registado.  
Em Maio de 1973, formalizou um contrato com o  Governo-geral da Província para o lançamento de uma empresa mista de capitais  públicos e privados, visando a exploração de uma frota de helicópteros. Para o  efeito foram adquiridos 4 Bell 47G-5 e 6 Bell  Jet Ranger, directamente da  fabrica nos Estados Unidos. Foi posteriormente instalada no Lumbo uma escola de  formação para novos pilotos de helicópteros em Moçambique, e criadas bases da  HEPAL na Beira e em Tete.
CR-ALJ - Foto de Tito Xavier











Da esquerda para a direita, Mário Arnauth (está na Venezuela), António Nobre (no Canadá), os 2 próximos são mecânico e piloto americanos, eu de camisola verde, Sr. Vinagre (patrão da Hepal), António Vaz (passou pela DETA e depois TAP), Antunes mais novo (era mecânico nos Serviços Geográficos e depois piloto na Hepal, desonheço o paradeiro, mas parece que anda por aí em Portugal), mecânico Artur Camacho de chapéu (esteve no Canadá comigo, mas voltou para Portugal depois de enviuvar), por último João Francisco Vinagre, filho do Sr. Vinagre.
Os dois americanos eram da Bell e foram dar treino ao pessoal. Espero não estar errado aqui, uma vez que também ia pessoal da Inglaterra.
Foto e legenda de Cesário Apolinário.
 Foto de António Manuel


  Foto de António Manuel
  Foto de António Manuel
  Foto de António Manuel
 Foto de António Manuel
Esta foto e a seguinte foram tiradas no momento da largada do Lacerda no curso do Lumbo
Fotos de Tito Xavier e legenda de Lacerda..
Fotos de Tito Xavier

Tirada em Porto Amelia em 1973. Foto de Helder Losna.

Largada do Antunes ou do Serio (Coelho,Pires,Inacio,Galamba,Apolinario e Nascimento.

Coelho de co-piloto do VAZ,a caminho de TETE, ali para os lados de Espungabera a nivel 11,O

Coelho na placa da Machava, a senhora não consigo identificar, de bata branca era o MACHAI.

Coelho e Camacho, na placa da Machava com um Jet-Ranger do GPZ

Alouette III,dos que ficaram da FAP,posteriormente operado pela HEPAL,foram depois entregues a Força Aerea MOÇAMBICANA, O miudo é o meu filho JOÃO. Fotos e legendas de Manuel Fontes Coelho. 

CR-AKZ




 Os Hiller UH-12E-4 num acampamento junto ao Zambeze em 1969,trabalhando para a HEPAL. Em Morrumbala, Zambézia. Foto e comentário do Cte. Armindo Pinto.


 Hiller e Cte. Armindo Pinto e o mecânico Pardal. Foto e comentário do Cte. Armindo Pinto.


 Agusta-Bell 206A Jet Ranger "CR-ALI"Foto e comentário do Cte. Armindo Pinto.


Hiller e (da dta. para a esquerda - Cte. Armindo Pinto , Cesário Apolinário e o mecânico Pardal em Morrumbala - Zambézia. Foto e comentário do Cte. Armindo Pinto.