O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

25/09/08

499-Interior de um dos Junkers - JU-52 da DETA




Agradeço a John Heggblom, a cedência desta foto tirada pelo pai "Connie" Heggblom, em Moçambique, no principio dos anos 50.


Dados cedidos pelo Cte. Vilhena.

18/09/08

497-CR-MAH da Aero Colonial


Ver artigo sobre a Aero Colonial aqui.

Foto de Fernando Martins enviada por Cte. Vilhena.
Dados do avião Cte. Vilhena.

12/09/08

495-Aerodromos de Mueda, Nacala, Nampula, Negomano

**O Islander da EMAC deve ser um dos acima referidos

==========================
Confirmado por Vitor Paz, que trabalhou na DETA em Nacala, que as as fotos 6 e 7 foram lá tiradas.
Obrigada a todos


Deixaram-me este comentário e venho pedir ajuda na identificação dos aerodromos.
"Desculpa ser desmancha-prazeres mas as fotos com legenda Porto Amélia não correspondem à realidade.Não é Porto Amélia. A do Heli e Nord parece Nampula e a do F-27 talvez Nacala...P. Amélia é que não com toda a certeza. Abraço ToCoelho"
=========
Acerca desta dúvida o Cte. Vítor Silva fez o favor de me mandar este texto:
"Posso garantir sem qualquer espécie de dúvida que a última fotografia ( 8ª ) do item 495 do "Voando" é de facto em Nampula.

Provas:

1ª) -O perfil dos morros a Norte à distância.
2ª) - A pista visível com nitidez, (transversalmente) na totalidade da fotografia.
3ª) - A guarita do AB 5 ( à direita) com o seu perfil característico.
4ª) - Dentro da cerca do AB5 (também à direita), um carrinho de baterias (pat pat) usado para arranque de aviões, pertença da Base.
5ª) - A cauda dum DO-27 (dentro do AB5) que presumo seja o mesmo da foto 3 (foram pelo menos tiradas + ou - à mesma hora).
6ª) - As zonas esbranquiçadas (quadradas ou rectangulares) da placa de estacionamento, resultado de obras de manutenção a que esta foi submetida nos anos 70 e que podem tambem ser vistas nas fotografias 2 e 4.

Notas:
As fotografias 2, 4 e 8 foram tiradas do varandim do bar/restaurante do aeroporto.
A fotografia 3 foi tirada dentro da base, ao nível do terreno o que me leva a supor que provavelmente o fotógrafo era militar.
Em reforço desta teoria, a fotografia nº1, em pleno aeródromo de Mueda enquanto decorre uma operação de abastecimento para o exército, onde se pode dizer que não havia civis (e muito menos dados a arte da fotografia), excepto o CHINA que tambem não tinha máquina fotográfica, mas que em pleno Ramadão aproveitava a chegada dos aviões para vir ao aerodromo petiscar e beber umas cervejas longe da vista dos famíliares que com rigor cumpriam os preceitos do Islão com abstenção total de alcool e chouriço. Portanto só um militar em princípio a podia ter tirado, palpita-me. "
1- Mueda
2- Nampula
3- Nampula 4-CR-AIA em Nampula
5-**O Islander da EMAC em Negomano

6-CR-AIA em Nacala

7-Nacala
8-Nampula

Os meus agradecimentos a Ricardo Quintino que me enviou estas fotos que fazem parte do espólio de um amigo dele, que esteve em Moçambique.
Dados do avião Cte. Vilhena.

494-Festival aéreo de Inhambane, nos anos 70














Este Festival já foi referido no blogue. Os meus agradecimentos a Ricardo Quintino que me enviou estas fotos, que fazem parte do espólio de um amigo dele, que esteve em Moçambique.
Dados do avião Cte. Vilhena.

08/09/08

493 - CR-AKS e Dr. José Paz Brandão Rodrigues dos Santos, do Serviço Médico Aéreo de Moçambique.


Foto de J. Vilhena

Dr. Paz aos comandos do CR-AKS do Serviço Médico Aéreo de Moçambique..**


**Esta foto foi enviada por João Rodrigues dos Santos, filho mais novo do Dr. Paz. O meu obrigada.

Clicar aqui e aqui para ver outros artigos que referem o Dr.Paz e o Serviço Médico Aéreo de Moçambique.
Dados do avião Cte. Vilhena.

05/09/08

491-Aeródromo do Songo

Songo (1975)
Songo (1975 ou 1976)

Fotos de Ricardo Inácio. O meu obrigado

490- CR-BAC da DETA em Quelimane





CR-ABC (Timor) em Quelimane.


Fardados, Silva Pereira (Maiô) atrás, de costas,

Mecanico de Voo Teixeirinha, de Frente, à frente

e Fernado Lampião o nosso segundo motorista.

Dados do avião Cte. Vilhena.

Fotos e legendas Ricardo Inácio. Obrigada.

489-O Aeroporto de Quelimane ainda em construção

Á esquerda nota-se a poeira gerada pelas turbinas a rolar da taxiway para a cabeceira da pista 36.


Foto e legenda de Ricardo inácio. Obrigada



488-Quelimane - Funcionários e Terminal da Deta (1971)



Na primeira foto eu, Ricardo Inácio, e o Tony Encarnação, os dois despachantes permanentemente alocados no Aeroporto e na segunda, eu.



Funcionários - Silva Pereira (Maiô), Emila Duarte, Ricardo Inácio


Foto e legenda de Ricardo Inácio

Dados do avião Cte. Vilhena.

487- CR-ABK DC-3 da DETA em Quelimane


Foto histórica



Quelimane - 21 Janeiro 1972



Ultimo voo regular da Deta para Quelimane em DC-3, e se a memória não me falha de facto o ultimo voo comercial dos DC3 da Deta.

TM 417A - CR-ABK “Namuli” – UEL-BEW – ETD 16.45 Local – Tripulação: Primavera, Cró e Castro - Despacho: Abel Pegado e Ricardo Inácio.

No dia seguinte recebemos o primeiro 737 em Quelimane, com o aeroporto ainda em construção.

DC-3 em Quelimane no serviço denominado ponte aérea.


DC-3 em Quelimane no serviço denominado ponte aérea.


Saída de manhã para a Beira, ida e volta á hora do almoço e regresso ao fim do dia para pernoita. Regresso à noite raramente falhava, a não ser que o tempo estivesse extremamente marginal. O nosso motorista na escala, Silva Pereira (Maiô), figura altamente respeitada nos velhos tempos da Deta, tinha sempre um programa na manga para oferecer às tripulações. Ricardo Inácio.


Dados do avião Cte. Vilhena.

Legendas e fotos de Ricardo Inácio. O meu obrigado.

486-Aeroclube da Zambézia (1970 ou 1971) – Direcção do Aeroclube.


-->
De pé da Esquerda para a direita - Rogério Moreira, Mário Geada (meu instrutor), Nelson Moreirinha (instrutor e Director do Aeroporto), Horácio Moreira.
Sentados da Esquerda para a direita- ??, ??, Campos, João Carneiro, Ricardo Inácio, ???. (Os anos passam e os nomes vão-se.)
Legendas e foto de Ricardo Inácio. O meu obrigada.


485- CR-AGV e CR-AMT do Aeroclube da Zambézia


Aeroclube da Zambézia (1970) - Ricardo Inácio –Piper Super Cub CR-AGV
Aeroclube da Zambézia (1970) - Ricardo Inácio – Piper Cherokee 140 CR-AMT – no Chitengo
Este avião protagonizou o Primeiro Desvio Aéreo em MoçambiqueEstávamos em Julho de 1974, quando o piloto comercial Carneiro Gonçalves e a sua esposa Sara Daude, assistente de bordo da DETA, protagonizaram o primeiro desvio aéreo em Moçambique.
Com um plano de voo que os deveria levar a Mocímboa da Praia, utilizando um Piper Cherokee “CR-AMT” do Aero Clube da Zambézia, voou para Dar es Salam na Zâmbia.
Mais tarde veio a ser nomeado Chefe da Força Aérea da Republica Popular de Moçambique. Legendas e fotos de Ricardo Inácio a quem agradeço.
Dados do avião Cte. Vilhena.

484-Regulamento dos Serviços da DETA - Portaria 18 812





Devido ao número de páginas da Portaria não me é possível colocá-las na integra.
Obrigada a quem me mandou este documento e pediu para não referir o nome.

483-Regulamentos de Admissão e Promoção do Pessoal e dos Serviços da DETA -Portarias 18787 , de 1965




Devido ao número de páginas da Portaria não me é possível colocá-las na integra.
Obrigada a quem me mandou este documento e pediu para não referir o nome.