O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

27/11/13

847 - Falecimento do Comandante Artur Cardoso

Artur Manuel Teodósio da Siva Marques Cardoso
(1939 –2013)
Nasceu em Moçambique a 13 de Novembro de 1939
Antigo piloto da DETA, tirou a sua licença de piloto particular no Aeroclube de Inhambane em 1958 com dezanove anos de idade. Foram seus instrutores Fernando Morgado, António Silva e Victor Nunes.
Entre 1959 e 1965 trabalhou para os laboratórios Pfizer de Moçambique, tendo terminado como chefe de vendas dos produtos agropecuários.
Voou posteriormente no Aero Clube de Moçambique onde foi instrutor de voo. Fez ainda parte da direção deste Aero Clube em 1967.
Em 1965 obteve a Licença de Piloto Comercial Sénior e posteriormente a de Linha Aérea, tendo iniciado a sua atividade como piloto profissional em várias companhias de táxi aéreo na África do Sul, Suazilândia e Moçambique.
A sua primeira companhia foi os Transportes Aéreos de Moçambique na Beira, tendo posteriormente voado na SAM, Suaziland Air Services, TAT, TAN, TAJA e SAN.
Entrou para a DETA em 1970 onde permaneceu até 1988, tendo voado em Fokker F-27 Friendship e Boeing 737.
Já depois da independência de Moçambique voou na Schreiner Airways, onde se reformou em 2004 com 65 anos de idade e 24.000 horas de voo.
Faleceu a 26 de Novembro de 2013.



25/11/13

846 - Cte. Celestiano d'Assunção Nunes/ TAZ


Foto de Ken Tilley

Ver referência a outros aviões do cte.Celestiano d'Assunção Nunes aqui.

845 - SETA – Sociedade Exploradora de Trabalhos Aéreos


SETA – Sociedade Exploradora de Trabalhos Aéreos Lda.

Por escritura de 16 de Novembro de 1949, publicada no Boletim Oficial nº 8, 3ª série de 24 de Fevereiro de 1951, constitui-se na cidade da Beira com o capital de 600 mil escudos uma sociedade comercial, denominada Sociedade Exploradora de Trabalhos Aéreos Lda. - SETA.



Esta sociedade que tinha como sócios fundadores Leonel Nunes da Silva e Luís Manuel Fernandes, visava efectuar levantamentos e transporte publico aéreo dentro dos limites do território da Província de Moçambique.



Actuou por força de uma autorização especial concedida pelo governador-geral, mediante parecer favorável do respectivo Conselho de Aeronáutica. Nessa autorização frisava-se contudo, que a SETA não poderia actuar em concorrência com a DETA.



A sua actividade exercia-se fundamentalmente no campo de serviços de táxi aéreo de passageiros e de transporte diário de peixe fresco do Inhassoro a (130 milhas a sul da Beira) para a Beira e desta cidade para Nova Lusitânia (Búzi).


Leonel Nunes da Silva  e Luís Manuel Fernandes, sócios da firma SETA, junto de um dos seus  aviões. Foto de LMFernandes e dados do avião de Cte. Vilhena

O Ryan 4 Navion "CR-ADE" da SETA

CR-AEM Foto de Ken Tilley.


Beech UC-43 Traveler (D-17S) "CR-AEU" da SETA
Beech UC-43 Traveler (D-17S) "CR-AEU" da SETA e o Stinson 108-1 Voyager "CR-AFA" dos SAB
 O Piper PA-22 Tripacer 150 "CR-AFJ" da SETA.

O Piper PA-22 Tripacer 150 "CR-AFJ" da SETA.





CR-AFJ. Foto de Adriano Soares.
O Piper PA-24 Comanche 250 "CR-AGJ" da SETA que posteriormente foi vendido aos TAM.


Compra do CR-AEU
Foto de John Miller








23/11/13

844 - O DeHaviland DH-104 Dove 1B na DETA

 Cabine de passageiros
 CR-ACI
 CR-ACI
CR-ACL
 CR-ACM
 CR-ACM
CR-ADC e CR-ADO
CR-ADC
CR-ADD

11/11/13

843 - Mª. Leonor de Magalhães Lopes Duarte

 Aero Clube da Zambézia - Mª. Leonor de Magalhães Lopes Duarte e Engº. José Lopes Duarte (meus Pais ao centro), 1º à direita, o Lomba Viana (instrutor e amigo da família) e colegas de voo
 Aero Clube da Zambézia,  Zambézia (fila de trás)Eng José Lopes Duarte (meu Pai), Mª Leonor de Magalhães Lopes Duarte (minha Mãe), o Lomba Viana (instrutor e amigo da família) e os colegas de voo
 Caderneta de Voo
 Caderneta de Voo
Caderneta de Voo

Fotos e comentários de Xanda Teles, filha de Mª. Leonor de Magalhães Lopes Duarte