O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

21/02/10

661-Aeroclube de Moçambique em 1946







Aviação em Moçambique em 1946, imagens do Cte. Vírgilio Santos onde se podem ver pilotos e aviões do Aero Clube de Moçambique.

Espólio do Cte. Virgilio Santos enviado pela filha Anabela Santos.
Obrigado.

660-CR-AAJ Junkers JU-52 “Lourenço Marques”



Espólio do Cte. Virgilio Santos enviado pela filha Anabela Santos.
Obrigado.


659-CR-AAE DeHavilland Dragon Rapide “Beira”



Espólio do Cte. Virgilio Santos enviado pela filha Anabela Santos.
Obrigado.

658-CR-ACT Lockheed Lodestar “Incomáti” em voo




Espólio do Cte. Virgilio Santos enviado pela filha Anabela Santos.
Obrigado.

657-Chegada do Boeing 737 CR-BAB “Angola” a Moçambique



Comandantes: Machado de Almeida, Vírgilio Santos
Copilotos: Joaquim Primavera e Victor Pedroso
Técnicos de Voo: Castro e Ventura


Espólio do Cte. Virgilio Santos enviado pela filha Anabela Santos.
Obrigado.

656-Cte. Virgílio Ferreira dos Santos - 3







Espólio do Cte. Virgilio Santos enviado pela filha Anabela Santos.
Obrigado.


655-Cte. Virgílio Ferreira dos Santos - 2







Espólio do Cte. Virgilio Santos enviado pela filha Anabela Santos.
Obrigado.
Continua../..

654-Cte.Virgílio Ferreira dos Santos -1






Natural de Lisboa nasceu a 5 de Abril de 1925.

Iniciou a sua carreira de piloto na Escola do Aero Clube de Moçambique em 1946, recebendo instrução num Tiger Moth.
Foi admitido na DETA em 1946 tendo obtido a sua licença de Piloto Aviador de Transporte Público a 15 de Junho de 1948.
Nesta empresa voou praticamente todos os seus aviões, desde o pequeno mono motor o Hornet Moth, passando pelo Dragon Rapide, Junkers JU-52, Lockheed Super Electra, Lockheed Lodestar, De Havilland Dove, Douglas DC-3 "Dakota", Fokker F-27 Friendship" e finalmente o Boeing 737.
Deixou a DETA em 1973, entrando para a TAP nesse mesmo ano.
Nesta última companhia aérea voou Boeing 727 e 737. Ao longo da sua longa carreira de piloto acumulou cerca de 30.000 horas de voo, reformando-se em 1985 aos 60 anos de idade.
Possuía cursos de formação técnico-profissional tirados em Moçambique, África do Sul, Estados
Unidos da América e Portugal.
Faleceu em Lisboa no dia 28 de Dezembro de 2004, aos 79 anos de idade.

Espólio do Cte. Virgilio Santos enviado pela filha Anabela Santos.
Obrigado.

Continua../..

653-Cte. Francisco Emanuel Leite Fragoso

Cte. Francisco Emanuel Leite Fragoso entrou para a DETA em 1936, tendo-se reformado em 1975, após 39 anos de serviço.





DETA - DH-104 CR-ACL, baptizado "Angoche" apos uma aterragem de emergencia nas margens do rio Limpopo, num voo da Beira para Lourenco Marques. A bordo seguia um grupo de criancas que haviam naufragado ao largo da Beira no navio "Clipfontein".
Felizmente as coisas correram bem e sem casualidades, para alem de alguns danos evidentes no aviao. O Dove foi reparado no local e dias mais tarde descolou e prosseguiu em "ferry" para Lourenco Marques.
Piloto: Francisco Emanuel Leite Fragoso.

Cte. Francisco Emanuel Leite Fragoso, junto a um Dakota DC-3 no Aeroporto de Mavalane, Lourenco Marques. Decorria o ano de 1953

DETA - DH-104 CR-ACL "Angoche" na margem do rio Limpopo ja reparado após alguns danos sofridos na sequencia de uma aterragem de barriga dias antes. O Dove descolou num troco improvisado e seguiu ferry para Lourenco Marques.
Piloto: Francisco Emanuel Leite Fragoso






Tripulacao da DETA junto a um Lockheed Lodstar L18 no Aeroporto do Lumbo.


(Fotos e legendas enviadas pelo filho, Cte. Carlos Costa)