O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

27/03/08

440-Acidente no dia 13/06/1967 pelas 2200 horas, com uma aeronave da F.A.P, na praia de Sepúlveda, Moçambique

(Foto tirada por um passageiro na manhã seguinte)
-RECUPERADO O AVIÃO DA F.A.P. QUE ATERROU DE EMERGÊNCIA NA PRAIA DE SEPÚLVEDA.
-Apenas um ferido ligeiro entre os tripulantes e passageiros.

-O êxito da difícil aterragem deveu-se à perícia do piloto.

-O avião que aterrou de emergência na praia de Sepúlveda na noite de terça-feira (13/06/1967), era um “Nord Atlas” 6414 da F.A.P.
-O aparelho imobilizou-se na zona defendida da maré pela muralha de pedra que contorna uma grande extensão daquela praia. A causa da descida de emergência, foi terem os tripulantes verificado uma avaria de ordem técnica, a que se juntou uma trágica falta de combustível, o que impediu o avião de atingir o aeródromo de João Belo, em razoáveis condições de segurança. Por outro lado e devido a um nevoeiro muito denso, a navegabilidade aérea tornava-se extremamente difícil. A manobra de aterragem de emergência foi precedida pelo alijamento da carga do aparelho.
-Após a aterragem, conduzida com segurança e perícia invulgares, deu-se imediatamente início às operações de salvamento, nas quais tomaram parte um avião do Aero clube de Gaza e elementos da Polícia de Segurança Pública de João Belo, os tripulantes e passageiros pernoitaram no Hotel da Praia de Xai-Xai, seguindo na manhã seguinte em autocarro para a cidade de Lourenço Marques.
- A aeronave fazia a ligação entre Nampula, Beira e Lourenço Marques.
- Dos passageiros seguiam para se alistarem na FAP no curso de formação de “Especialistas da FAP na Ota”, no 2º turno de 1967, os Beirenses – Solano de Almeida, Manuel Paiva, Ezequiel Velho, António Vieira, Rodolfo Pereira e Serafim Cancela.

Nos comentários deixaram a alteração a seguir referida:
"Obrigado Tonito por esta recordação do nord atlas na praia do xai-xai, recordo-te que eu nao me chamo Rodolfo Pereira mas sim Rodolfo Monteiro e o Velho chama-se Estelita Velho e nao Ezequiel, o resto esta certo, faltam o gajos de Nampula, Lazaro, Fernando Fernandes, Sargento (
nao me lembro do nome dele) e o Quintal."
Recorte da notícia do acidente no “Diário de Moçambique”,da Beira, no dia 15/06/1967


Texto e fotos enviados por António da Silva Vieira, a quem agradeço a oferta.

5 comentários:

Rodolfo disse...

Obrigado Tonito por esta recordação do nord atlas na praia do xai-xai, recordo-te que eu nao me chamo Rodolfo Pereira mas sim Rodolfo Monteiro e o Velho chama-se Estelita Velho e nao Ezequiel, o resto esta certo, faltam o gajos de Nampula, Lazaro, Fernando Fernandes, Sargento (nao me lembro do nome dele) e o Quintal.

Gostei de ver a foto, e espero que um dia nos encontremos para comemorar a nossa sobreviencia.

Se nao te lembras de mim, digo que uma vez fomos a boleia da ota para s jacinto nun citro de 2 cavalos duns fraceses.
tambem estive contigo na ba 12 e fomos comer ostras e beber cerveja.

Um abração.

Luisa Hingá disse...

Rodolfo muito obrigada pelo seu comentário. Vou mandá-lo para o António Silva Vieira.
E vou fazer a devida correcção.
Volte sempre.

Luisa Hingá disse...

Rodolfo o António Vieira pede o seu e-mail para matarem saudades. Pode mandar-mo para lhinga@gmail.com
Bom fim de semana.

A.Lazaro disse...

Olá boa noite, ao fim de tantos anos, reparei que estava na internet este acidente e sendo eu um dos intervenientes nesse dia de milagre para todos nós, não deixo de mandar o meu comentário. Eu sou o Lázaro de Nampula e os outros dois eram o Flórido de Matos e o Quintal.O Matos estive á momentos a falar com ele, o Quintal perdi-lhe o rumo, os restantes da Beira só voltei a ver o Nequita, se alguem ler esta mensagem agradeço que me contactem. O meu e-mail é este ant.m.p.lazaro@gmail.com .Até breve A.Lázaro

Anónimo disse...

O meu pai era um dos pilotos desse voo. Tem num álbum de recordações fotografias do avião no mar. Continuou na aviação comercial até à reforma e o meu irmão e eu seguimos-lhe as pegadas. É curioso rever estas fotos na net. Ele vai gostar de rever estes nomes que por certo lhe são familiares