O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

25/11/13

845 - SETA – Sociedade Exploradora de Trabalhos Aéreos


SETA – Sociedade Exploradora de Trabalhos Aéreos Lda.

Por escritura de 16 de Novembro de 1949, publicada no Boletim Oficial nº 8, 3ª série de 24 de Fevereiro de 1951, constitui-se na cidade da Beira com o capital de 600 mil escudos uma sociedade comercial, denominada Sociedade Exploradora de Trabalhos Aéreos Lda. - SETA.



Esta sociedade que tinha como sócios fundadores Leonel Nunes da Silva e Luís Manuel Fernandes, visava efectuar levantamentos e transporte publico aéreo dentro dos limites do território da Província de Moçambique.



Actuou por força de uma autorização especial concedida pelo governador-geral, mediante parecer favorável do respectivo Conselho de Aeronáutica. Nessa autorização frisava-se contudo, que a SETA não poderia actuar em concorrência com a DETA.



A sua actividade exercia-se fundamentalmente no campo de serviços de táxi aéreo de passageiros e de transporte diário de peixe fresco do Inhassoro a (130 milhas a sul da Beira) para a Beira e desta cidade para Nova Lusitânia (Búzi).


Leonel Nunes da Silva  e Luís Manuel Fernandes, sócios da firma SETA, junto de um dos seus  aviões. Foto de LMFernandes e dados do avião de Cte. Vilhena

O Ryan 4 Navion "CR-ADE" da SETA

CR-AEM Foto de Ken Tilley.


Beech UC-43 Traveler (D-17S) "CR-AEU" da SETA
Beech UC-43 Traveler (D-17S) "CR-AEU" da SETA e o Stinson 108-1 Voyager "CR-AFA" dos SAB
 O Piper PA-22 Tripacer 150 "CR-AFJ" da SETA.

O Piper PA-22 Tripacer 150 "CR-AFJ" da SETA.





CR-AFJ. Foto de Adriano Soares.
O Piper PA-24 Comanche 250 "CR-AGJ" da SETA que posteriormente foi vendido aos TAM.


Compra do CR-AEU
Foto de John Miller








Sem comentários: