O Voando em Moçambique é um pequeno tributo à História da Aviação em Moçambique. Grande parte dos seus arquivos desapareceram ou foram destruídos e o que deles resta, permanecem porventura silenciosos nas estantes de muitos dos seus protagonistas. A História é feita por todos aqueles que nela participaram. É a esses que aqui lançamos o nosso apelo, para que nos deixem o seu contributo real, pois de certo possuirão um espólio importante, para que a História dessa Aviação se não perca nos tempos e com ela todos os seus “heróis”. As gerações futuras de certo lhes agradecerão. Muitos desses verdadeiros heróis, ilustres aventureiros desconhecidos, souberam desafiar os perigos de toda a ordem, transportando pessoas e bens de primeira necessidade ou evacuando doentes, em condições meteorológicas adversas, quais “gloriosos malucos das máquinas voadoras”. Há que incentivar todos aqueles que ainda possuam dados e documentos que possam contribuir para que essa História se faça e se não extinga com eles, que os publiquem, ou que os cedam a organizações que para isso estejam vocacionadas. A nossa gratidão a todos aqueles que ao longo dos tempos se atreveram e tiveram a coragem de escrever as suas “estórias” e memórias sobre a sua aviação. Só assim a História da Aviação em Moçambique se fará verdadeiramente, pois nenhum trabalho deste género é suficientemente exaustivo e completo. A todos esses ilustres personagens do nosso passado recente que contra tudo e todos lutaram para que essa história se fizesse, a nossa humilde e sincera homenagem.

A eles dedicamos estas linhas.

José Vilhena e Maria Luísa Hingá

========================

Quem tiver fotos e/ou documentos sobre a Aviação em Moçambique e os queira ver publicados neste blogue, pode contactar-me pelo e-mail:lhinga@gmail.com

=======================

Por motivo alheio algumas das imagens não abrem no tamanho original. Nesse caso podem selecionar “abrir imagem num novo separador” ou “Guardar imagem como…”.

06/03/12

767-Aero Clube de Cabo Delgado


CR-AFG
CR-AFK
CR-AGP
CR-ANC- Foto tirada em Porto Amélia, agora Pemba.
CR-AQR

Porto Amélia
Este Aero Clube foi formado em Porto Amélia corria o ano de 1959. Em 1960 adquire na África do Sul o seu primeiro avião, um Piper Cub Special a que foi atribuída a matrícula “CR-AGP”. Após dois anos nas oficinas do Aero Club de Moçambique foi finalmente transferido para Porto Amélia pelo piloto Gomes Pepe e batizado de “D. Sebastião I”.
Iniciou os voos de formação de pilotos pelo instrutor Mário Clarisseau de Sousa Ramos, contando com 10 candidatos entre os quais uma senhora.
Foi posteriormente constituída em 1962 no seio do Aeroclube de Cabo Delgado a FAV 304 integrando 10 pilotos, contando para o efeito uma frota de três aviões, um Piper Tripacer (CR-AFK), o Piper Cub Special (CR-AGP) já mencionado e um Cessna 172 (CR-AFG), abatido ao efetivo em Agosto de 1963.
A partir de 1963 foi-lhe atribuído pelos Serviços de Aeronáutica Civil vários Auster D5/160 que operaram temporariamente (CR-AIU / CR-AIG / CR-AIF), sendo adquirido com meios próprios um Cessna 150H (CR-ANC).
Em 1969 foi igualmente recebido um Piper PA-28 Cherokee 235 (CR-ALF) que sofreu um acidente perto de Alua a 30 de Março de 1970 onde perdeu a vida o piloto Eliseu Ferreira e quatro passageiros, um deles menor de idade.
Em 1975 recebeu mais um Auster D5/160 (CR-AQR) proveniente do espólio da Força Aérea Portuguesa deixado em Moçambique, que voou ainda com o registo militar (3563).
Após a independência de Moçambique encerrou as suas atividades, tal como todos os outros Aero Clubes daquele país do Índico.

1 comentário:

Paulo da Cunha Alegre disse...

O meu Pai - António da Cunha Alegre, voou nas FAV 304, no Auster D5/160. Cumpts., Paulo da Cunha Alegre